Visto Nômade Digital de Portugal

O que você encontrará nesse artigo:

Não é de hoje que Portugal é tido pelos brasileiros como sinônimo de oportunidade de crescimento e uma vida mais tranquila. Pensando nisso, o país criou o visto especial – D2 – para os que desejam residir no país e trabalhar como autônomos, incluindo os nômades digitais. Como conseguir então o visto nômade digital para Portugal?

Em 2021, o visto D2, já foi considerado um dos 5 melhores vistos para os profissionais autônomos em toda a Europa, de acordo com o International Living. E é exatamente o mais procurado pelos nômades digitais

É uma excelente opção para quem trabalha de maneira remota e tem o desejo de residir em Portugal de maneira legal. No entanto, o visto D7 conta com maior enfoque para pessoas que desejam residir no país através de rendimentos próprios, como aposentadoria ou um investimento.

Diante de suas especificidades, a escolha por um dos dois tipos deve ser feita com base nas necessidades e realidade de cada um.

Buscando as principais indagações sobre esse tema, separei algumas informações e curiosidades sobre o que é um nômade digital, quais os melhores tipos de vistos para Portugal nestes casos, os requisitos necessários e outros dados bem relevantes.

Afinal, o que é um nômade digital?

Primeiramente, antes de decidir por qual tipo de visto optar, especificidades e requisitos, é necessário entender de fato, o que é um nômade digital e quem pode consegui-lo.

Nada mais é um novo conceito, onde a pessoa pode trabalhar de qualquer local, de forma inteiramente online, sem ter a necessidade de estar presente fisicamente em um país, cidade ou escritório.

Nesse ínterim, o único critério obrigatório para se tornar ou ser um nômade digital é trabalhar através da internet, de forma online e de onde você bem desejar, que não seja a empresa, lógico.

Assim, o trabalhador poderá residir onde quiser, executando suas tarefas seja em um café, praia ou de onde bem entender.

Dentre as profissões mais conhecidas que são consideradas nômades digitais, são:

  • Fotógrafos;
  • Produtores de Conteúdo;
  • Designers;
  • Editores;
  • Ilustradores;
  • Investidores;
  • Donos de E-commerce;
  • Professores.

Já se tratando de elegibilidade, existem fatores determinantes e importantes para conseguir dar a entrada no processo de visto de nômade digital:

  1. Histórico de vistos;
  2. Nacionalidade e origem do candidato;
  3. Passaporte válido e elegível;
  4. Não ser considerado uma ameaça à segurança ou à saúde dos países de destino.
  5. Comprovação dos seus ganhos reais pelo trabalho exercido remotamente.

Como conseguir o visto nômade digital para Portugal?

O visto nômade digital para Portugal tem a opção de ser solicitado de duas maneiras diferentes. Portugal oferece um visto especial para freelancers, chamado visto D2. Porém, como houve uma grande procura por esse tipo de visto, muitos estão entrando com o pedido do visto D7 e tem obtido muito mais êxito com essa solicitação.

Qual a diferença entre eles e a quem eles se aplicam? Veja abaixo.

Visto D2

O visto D2 é um visto especial destinado a empreendedores e autônomos que desejam exercer sua profissão em Portugal, seja abrindo um negócio local ou apenas trabalhando como autônomo. Ele se estende para todos aqueles que exercem sua profissão de maneira independente, como os nômades digitais e freelancers.

Além de ainda poder viver legalmente no país, o profissional terá direito, ainda, de levar a família e pedir a cidadania portuguesa depois de 5 anos de residência legal.

Sendo assim, com o visto D2, a pessoa tem até 4 meses para entrar no país e, depois disso, deverá solicitar a autorização de residência, que será concedida por até 1 ano, podendo ser renovada por até 2 anos.

A renovação só poderá ser feita mediante comprovação de desenvolvimento das atividades profissionais.

Veja quem pode solicitar esse tipo de visto:

  • Autônomos que pretendem exercer sua profissão em Portugal, sendo necessário ter um contrato ou uma proposta de trabalho em andamento.
  • Imigrantes que desejam abrir um negócio próprio em Portugal e que tenham condições financeiras para isso (pois deverão comprovar).

Requisitos para esse visto:

  • Requisitos gerais a qualquer tipo de visto como seguro saúde, seguro de viagem, passaporte válido, dentre outros.
  • Inscrição na Ordem Profissional (como médicos, por exemplo).
  • Uma declaração concedida pela entidade competente comprovando o exercício de sua atividade em Portugal.
  • Ter um contrato de sociedade, contrato ou proposta de trabalho para profissões liberais.

 

Visto D7

Outro tipo de visto possível para os nômades digitais é o visto D7, conhecido como visto de renda passiva. Ele é comumente utilizado por aposentados, titulares de rendimentos ou investidores financeiros, mas, recentemente, tem sido solicitado por profissionais tidos como nômades digitais.

Profissionais indicam que o visto do tipo D7 seja solicitado por aqueles profissionais que possuam um vínculo de trabalho com uma empresa, mas que possam ocupar o seu cargo à distância (no regime remoto).

Em casos como esse, a solicitação deve ser feita mediante comprovação de renda, com base no salário mínimo de Portugal.

  • Requisitos para esse tipo de visto;
    No caso dos nômades digitais, recomenda-se a apresentação do comprovante de trabalho remoto e dos rendimentos obtidos deste trabalho.
  • Deve-se comprovar os rendimentos ou investimentos financeiros. Nesse caso, os valores podem ser comprovados por meio da aposentadoria, da Declaração de IR, rendas provenientes de aluguéis ou comprovantes de investimentos financeiros.

Como escolher o melhor tipo de visto?

Depois de entender as diferenças entre cada tipo de visto, fica a dúvida de como prosseguir com o processo de solicitação de visto de nômade digital de Portugal? A resposta é procurar aquilo que melhor se adequa ao seu caso.

A melhor maneira, é contar com especialistas que possam lhe auxiliar durante todo esse processo. De forma simples, justa e correta. Não passe por apuros e entre da melhor maneira no país e conquiste a vida que você tanto almeja!

Eu sou Vanessa Morato, Especialista Jurídica para Imigrantes e posso lhe auxiliar em todo o processo. Sem sombra de dúvidas, posso e quero ajudar você a ter sua tão sonhada vida em Portugal!

UMA DECISÃO TÃO IMPORTANTE COMO

VIVER EM PORTUGAL

DEVE COMEÇAR PELOS CAMINHOS SEGUROS

Por que arriscar seu sonho acreditando em atalhos?
Comece pelo jeito certo!
Entre em contato e tire suas dúvidas sobre os nossos serviços.

Scroll to Top